Projeto Novas

Projeto Novas

O projeto Novas corresponde a uma seleção de composições idealizada pela violonista Elodie Bouny, que vem sendo realizada no Brasil inteiro, e que visa incentivar a criação de repertório novo para violão. Composto por Fábio Zanon, Sergio Assad, Marco Pereira e Elodie Bouny, o júri da 2ª edição – realizada pela Mecenaria Produção Cultural com apoio do ProAC da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo – recebeu 73 peças de 11 estados do país e teve a árdua tarefa de escolher algumas peças para compor o CD. O resultado foi absolutamente brilhante e o conjunto da gravação mostrou um nível de composição e de execução muito alto, oferecendo um panorama bem autêntico do que é a musica para violão no Brasil hoje, através de peças com inspiração popular, conceito mais moderno, influencia minimalista e reminiscências do rock. Buscando valorizar os compositores que escrevem para violão, pondo à luz talentos quase sempre escondidos, e pouco divulgados, disponibilizaram-se as partituras de cada peça no CD em formato PDF para que estudantes, pesquisadores e concertistas do mundo inteiro possam tocá-las. Para representar os violonistas selecionados, Elodie Bouny, Alexandre Gismonti, Carlos Walter e Guilherme Vincens subirão ao palco do Festival Internacional de Violão de Belo Horizonte.

Elodie Bouny

Elodie Bouny cresce em Paris onde efetua um percurso de estudos clássicos completo enfocado no estudo do violão erudito no Conservatório de Boulogne (Paris); ela obtém seu Diploma Final com menção mais alta por únanimidade (2000). Ela é mestre em educação musical pela Escola de Musica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2012). Aperfeiçoa-se seguidamente com Pablo Màrquez no Conservatório de Estrasburgo, onde encontra a oportunidade de alargar sua cultura e de abrir o seu campo de trabalho em especial à música antiga, e as músicas improvisadas. Termina este segundo percurso e se forma em 2005 obtendo o seu D.E.M. (Diploma de Estudos Musicais). Durante estes anos de estudos, completa igualmente a sua formação seguindo numerosos master classes com personalidades eminentes e participa em aulas relacionadas com a música da América do Sul. Ela integra por alguns meses os cursos do Conservatório Nacional de Folclore de Buenos Aires dirigido pelo violonista Juan Falù.

É laureada de vários concursos Internacionais: 3 ̊ Premio do Concurso ADMIRA, UK em 2001; 1 ̊ Premio do Concurso UFAM em 2003; 2 ̊ Premio do Concurso de Eschende (Holanda) em 2006, 2 ̊ Premio do Concurso AV-Rio (Rio de Janeiro) em 2009, 1 ̊ Premio do Concurso BRAVIO (Brasília) em 2009, 3 ̊ Premio do Concurso do Conservatório Villa-Lobos (São Paulo) em 2009. Elodie Bouny participa de vários festival como Guitarras del Mundo (Argentina; 2004 e 2005), Seis cordas para uma semana na Ilha da Reunion, Festival Internacional de Música Besançon, Jazzdor (Estrasburgo, França), Festival Jeunes Creations (Besançon; Francia)... Atualmente mora em Rio de Janeiro e desenvolve vários projetos artísticos, entre eles o Duo Ida e Volta (violão-flauta) com Letícia Malvares, apresentando um repertorio de musica sul-americana. Também, ela compõe para seu instrumento; em 2009, a sua peça “Et si le temps passe”, escrita para o violonista Gilson Antunes, foi publicada pela editora canadense Les Productions d’Oz. Elodie Bouny orquestrou diversas peças em parceria com Yamandu Costa (Suite Passeios para violão de 7, acordeom e orquestra, Concerto Fronteira para violão de 7 e orquestra, entre outros), que foram tocadas em salas prestigiosas (Salle Pleyel em Paris, Teatro São Pedro em Porto Alegre, Teatro Cine Odeon em Cuiabá, no Rotkäppchen Sektkellerei em Leipzig) sob a regência de Antônio Borges-Cunha, Leandro Carvalho e Kristjan Jarvi. Tem Mestrado em Educação Musical (UFRJ, 2011). Seu primeiro cd, Terra Adentro, dedicado ao repertorio latino americano, saiu em 2011, com a gravadora carioca A Casa Produções e tem produção artística de Yamandú Costa. Ela é produtora artística dos seguintes CD’s: Bordadeira (Beth Marques)/2010/Biscoito Fino; Mafua (Yamandú Costa)/2008/Biscoito Fino; Cabaret (Yamandú Costa e Guto Wirtti) / 2015 / Independente; Toccata a amizade (Yamandú Costa, Bebê Kramer, Luis Barcelos, Rogério Caetano) / Biscoito Fino / 2015; Projeto Novas vol. 1 e 2 (Diversos violonistas brasileiros) / NoMadMusic / 2014; Yamandu Costa e Orquestra de Mato Grosso / Kuarup / 2015

Alexandre Gismonti

Filho do multi-instrumentista Egberto Gismonti, o violonista Alexandre Gismonti acompanha o pai em tournées nacionais e internacionais desde 1997. Em 2009, gravou seu primeiro disco, em duo com Egberto, entitulado “Saudações” e lançado pela conceituada gravadora alemã ECM. Em 2010, com sua carreira solo também em ascensão, lançou o disco “Baião de Domingo” (Fina Flor), que lhe rendeu a inédita indicação para o Prêmio da Música Brasileira 2010 (categoria revelação). No mesmo ano, Alexandre saiu em tounée pelo Reino Unido, Canadá e Estados Unidos, integrando o projeto americano International Guitar Night 2010/2011. Fruto desse trabalho, registrou o disco “IGN V” (Warner Canada), conjuntamente aos violonistas de renome internacional Brian Gore, Pino Forastiere e Clive Carroll. Seu próximo disco, previsto para o segundo semestre de 2013, marcará sua estréia internacional como artista solo na gravadora alemã ECM records. Compositor destacado da nova geração, Alexandre obteve seleção de suas obras autorias nos festivais “Guarulhos instrumental” (São Paulo, 2007), no festival TIM de choro “Casa do Gilson” (Belém, 2007), e no “Projeto Novas” (Rio de Janeiro, 2012). Como intérprete, entrou para a lista dos melhores músicos instrumentais brasileiros ao ser selecionado para o “Prêmio VISA de música brasileira” (São Paulo, 2004). O trabalho de Alexandre Gismonti se espelha na riqueza e diversidade da música brasileira e carrega a bandeira da nobre tradição do nosso violão. Admirador de Villa-Lobos, Garoto, Hélio Delmiro, entre outros, Alexandre segue sua trajetória inventiva pedindo sempre a bênção aos grandes mestres. A seguir alguns destaques de sua jornada musical. Acompanhando as turnês de Egberto Gismonti se apresentou nos mais importantes teatros e festivais de música no Brasil, Europa, América Latina e Ásia. Alguns exemplos no Brasil: Teatro Palácio das Artes (Belo horizonte - MG), Teatro Castro Alves (Salvador - BA), Teatro SESI Avenida Paulista (São Paulo - SP), Grande Teatro da UFRGS (Porto Alegre - RG), Auditório do BNDES (Rio de Janeiro – RJ), entre outros. No Exterior: Det Kongelige Bibliotek (Copenhagen - DINAMARCA), Mann Auditorium (Telaviv - ISRAEL), Barbican Center (Londres - INGLATERRA), Cité de la Musique (Paris - FRANÇA), El Gran Teatro (Córdoba - ESPANHA), Teatro Amadeo Roldán (Havana - CUBA), El Gran Rex (Buenos Aires - ARGENTINA), entre outros. Como solista e convidado esteve em: Sala Baden Powell (RJ), Sala Cecília Meirelles (RJ), Sesc RJ e SP, Auditório IBAM (Música no IBAM - RJ), Planetário da Gávea (Série Música nas Estrelas – RJ)), Teatros Municipais de Niterói (RJ), São João Del Rey (MG) e São José dos Campos (SP), e Série Música no Museu (RJ). Em 2002, representou o Brasil no Festival Internacional de Guitarras “Entre Cuerdas”, no Chile. Em 2003, apresentou-se na Sala Cecília Meireles (RJ), dentro da programação do 41º Festival Villa-Lobos. Em 2004, foi selecionado para o 7º Prêmio VISA de Música Brasileira – versão instrumental. Em 2007, defendeu suas composições “Sapateado” e “Que surpresa!” dentro dos festivais de música instrumental brasileira Garulhos Instrumental (Guarulhos - SP) e Festival TIM de choro “Casa do Gílson” (Belém - PA), respectivamente. Em 2008, se apresentou no XXI Festival Internacional de Música do Pará e em 2010, foi convidado para integrar o conceituado International Guitar Night, projeto americano que já contemplou os brasileiros Guinga, Marco Pereira e Paulo Bellinati.

Carlos Walter

O mineiro Carlos Walter é autor do livro O violão e as linguagens violonísticas do choro publicado pelo Clube de Autores, filiado à União Brasileira de Compositores e associado do Clube do Choro de Belo Horizonte. Possui mestrado pela Fundação Mineira de Educação e Cultura, ministra oficinas de violão e atua como violonista em trabalhos individuais e coletivos. Representando a música brasileira, apresentou-se na I Semana de Belo Horizonte en Buenos Aires (2008), no VI Festival du Choro de Paris (2010), na 16ª Cumbre de Mercociudades (Montevideo, 2011) e na Portes ouvertes 2012-2013 du Club du Choro de Paris (2012). Foi premiado pelo Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural do MinC (2010), selecionado pelo Programa Música Minas (2012) e pelo Edital Novas #2 - Concurso de peças para CD e álbum digital de partituras (2014) escolhidas por Elodie Bouny, Fábio Zanon, Marco Pereira e Sérgio Assad. Sua trajetória como intérprete, compositor e arranjador está registrada em vídeos e cds. Em 2015, lançará o CD “Calendário do (a)feto: suíte para violão-solo com nove movimentos alusivos aos meses de gestação” através do Fundo de Projetos Culturais da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte.

Guilherme Vincens

Guilherme Vincens é doutor em performance musical (violão) e etnomusicologia pela University of Arizona, onde defendeu sua dissertação sobre os arranjos para violão solo de Sérgio Assad e Roland Dyens, com bolsa do programa CAPES/Fulbright. Estudou com Thomas Patterson e David Russell, artist-in-residence na UofA. Aperfeiçoou-se ainda nas masterclasses de: John Williams, Pepe Romero, Sérgio e Odair Assad, Eduardo Fernández, Fábio Zanon, Roland Dyens, Paul O’dette e Paul Galbraith, entre outros. Formou-se em 2002 na Escola de Música da UFMG onde estudou com Eduardo Campolina e Fábio Adour. Estudou também com José Lucena Vaz e Raimundo dos Santos, com quem iniciou seus estudos de música. Recebeu 12 premiações em concursos internacionais de violão, destacando o 1o. Lugar no XI Concurso Internacional de Portland, EUA. Foi também premiado pelo “Annual Guitar International Awards”, edição 2011 da GI Magazine. Apresentou-se em importantes salas de concerto nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México, Chile, Espanha, Portugal, Itália, Alemanha e Brasil. Foi convidado para os seguintes festivais de música: VI Festival Internacional de Leiria, Portugal, Seminário Vital Medeiros, I Festival de Música Contemporânea Mexicana na Eastman School of Music em NY, Festival Internacional de Portland, XIV Festival de Inverno de Domingos Martins, IV Festival Internacional de Violão, em Belo Horizonte, II “Eu Gostaria de Ouvir” e Festival Internacional da Western Illinois University, entre outros. Atuou também como solista a convite da Orquestra Sinfônica Collegium Musicum Potsdam, na Alemanha. Na área de música popular, participou de shows e gravações com os artistas: Grupo Nono Osso, Péricles Garcia Band, Gilberto Mauro Grupo, Janice Jarrett, Eric Johnson, Matt Warnock, Roddy Ellias e Katherine Byrnes; e de masterclasses com Guinga, Toninho Horta e Hermeto Pascoal. Participa ainda do Duo Tramanduá com o flautista Bruno Coimbra Faria, e do duo com o violonista Michel Maciel. Entre 2002 a 2006, foi Teaching Assistant na University of Arizona, em Tucson e professor de violão, harmonia e história da música na Pro-Music, em Belo Horizonte. Em 2011, lançou seu disco “Portrait”, que vem recebendo excelentes críticas. Atualmente, é professor do curso de música da Universidade Federal de São João del Rei – UFSJ.

PROGRAMA

Elodie Bouny Scène brésilienne 1 Elodie Bouny
Anjo Elodie Bouny
Conversa das flores Elodie Bouny
Carlos Walter Calendário do (a)feto: 1º movimento
Terna valsa, 3º movimento
Sui generis (choro), 5º movimento
Acrobata (baião ligeiro)
Alexandre Gismonti Estudos Polimétricos 3, 2 e 1 Dusan Bogdanovic
Estrada do sul Alexandre Gismonti
Chora, Antônio! Alexandre Gismonti & Paulo Cesar Pinheiro
Saudações Egberto Gismonti & Paulo Cesar Pinheiro
Guilherme Vincens    
Elodie BounyElodie Bouny
Alexandre GismontiAlexandre Gismonti
Carlos WalterCarlos Walter
Guilherme VincensGuilherme Vincens